Vou e fico ao som dos seus gemidos
Toda ânsia, angústia e dor engolidas pelo furor das mãos
Sufocadas pelo enlace das coxas

Sobrepostos nossos corpos, unidas nossas almas.

Devaneios em suor, palavras e amor
O tempo se perde, o lençol se inverte
As pernas puxam, trancam, repuxam
Os braços em abraços querem estar mais perto
O intangível se desfaz ao encontro dos olhares seguros do desejo
Sentir, possuir, ser!

...
Pós- êxtase
...

A serenidade aflora a medida que o cansaço desliza entre nossos músculos antes ansiosos, tensos, tão rígidos.

Agora e sempre completos, inteiros, únicos.



Moíra Avelino.

Um antigo sonho


A luz da piscina à noite refletindo em seus olhos
Nós dois conversando, tentando evitar olhar nos olhos com medo que a sinceridade floresça
O vinho, o cigarro...
Nossas mãos se perdendo para não se encontrarem
Tinha me esquecido de como é bom perder a noite para ganhar o dia.
E agora?
Os assuntos sumiram, nossos olhos se cruzam, nossas mão se encontram
Seu rosto chegando junto ao meu e o inevitável acontece...

Eu acordo!



Moíra Avelino.

J'aime

Barba, cheiro... São beijos, enlaces, carinhos
Suor, mãos, cintura
Os seios são meus, as pernas são suas
Seus dedos suaves em meus cabelos
Toques avulsos, às vezes incompletos, sempre inteiros
As palmas se fundem, as mentes se ligam, as peles se confundem, as salivas se misturam
Numa conta impossível
De dois nos multiplicamos em um
Nos dividindo sem permanecermos os mesmos.


Sempre, sempre, sempre...
Nós atados.



Moíra Avelino.

Blogando

O que gosto, o que quero.

Para futucar :

  • sai pra lá, desencana que isso né amor no meu mundo não vem pra cá c'essa conversa de novo não tô cansada de repetição, se manda, se manca quer me tratar c...
  • Ao som de "ABRA - *Fruit"* Naquela hora em que olhei seu nome na tela a mulher do banco de trás me tocou o ombro para saber se o próximo ponto era o do Sho...
  • pus uma tenda mística no centro: "leio mãos" em Braille. e digo silêncios entre os carinhos prevejo futuros com letras de Bethânia e Gal
  • Existe um jardim nos céus do mundo onde se falam todas as cores e as cachoeiras se derramam entre nuvens. As flores vêm e vão, entre os ventos, entre os te...
  • poética masturbação na intenção dela.
  • Havia uma antiga lenda chinesa que dizia que, uma vez, um jovem inexperiente entrando na idade adulta foi até o topo de uma montanha falar com um velho sáb...
  • E da falta de inspiração nasce a rima, A tortuosa poesia dos dias, Que aparece nas flores da janela, Nas cores da favela. Eu vazia e cheia, Me perguntando se...
  • O barulho das gotas do chuveiro mal fechado pingando pigando pingando me incomoda tanto que é quase eu que escorro pelo ralo da minha paciência. Tortura c...

Companhia

- Nothing sweet - About me

Minha foto
[Ser ou ser, não há questão.] Moka, para os íntimos. www.formspring.me/moiras

Arquivo M.