Vou e fico ao som dos seus gemidos
Toda ânsia, angústia e dor engolidas pelo furor das mãos
Sufocadas pelo enlace das coxas

Sobrepostos nossos corpos, unidas nossas almas.

Devaneios em suor, palavras e amor
O tempo se perde, o lençol se inverte
As pernas puxam, trancam, repuxam
Os braços em abraços querem estar mais perto
O intangível se desfaz ao encontro dos olhares seguros do desejo
Sentir, possuir, ser!

...
Pós- êxtase
...

A serenidade aflora a medida que o cansaço desliza entre nossos músculos antes ansiosos, tensos, tão rígidos.

Agora e sempre completos, inteiros, únicos.



Moíra Avelino.

Blogando

O que gosto, o que quero.

Para futucar :

  • eu quis te escrever; dar um jeito nessa vontade de gritar de vomitar de mandar você tomar no cu e nunca mais olhar na minha cara. acho que era só isso que e...
  • Duas pessoas se sentem como sentimos o peso do mundo. Sentadas num banco de praça se enroscam monstruosas Memórias sendo criadas e que um dia virarão históri...
  • De tanto medo de nao ter uma vida inteira ao lado teu acreditei que a vida inteira cabia num minuto e que cada vida inteira de minuto seu também fosse vida i...
  • Existe um jardim nos céus do mundo onde se falam todas as cores e as cachoeiras se derramam entre nuvens. As flores vêm e vão, entre os ventos, entre os te...
  • poética masturbação na intenção dela.
  • Havia uma antiga lenda chinesa que dizia que, uma vez, um jovem inexperiente entrando na idade adulta foi até o topo de uma montanha falar com um velho sáb...
  • E da falta de inspiração nasce a rima, A tortuosa poesia dos dias, Que aparece nas flores da janela, Nas cores da favela. Eu vazia e cheia, Me perguntando se...
  • O barulho das gotas do chuveiro mal fechado pingando pigando pingando me incomoda tanto que é quase eu que escorro pelo ralo da minha paciência. Tortura c...

Companhia

- Nothing sweet - About me

Minha foto
[Ser ou ser, não há questão.] Moka, para os íntimos. www.formspring.me/moiras

Arquivo M.